Em 2020, a agenda ESG – de incorporação de questões ambientais, sociais e de governança às decisões de

investimento – furou a bolha no Brasil.


A despeito da crise sanitária e econômica desencadeada pela pandemia de Covid-19, novos produtos financeiros com uma lente ESG chegaram com força aos mercados de crédito e de capitais. Mais empresas se aproximaram da agenda, que também deixou de ser assunto de apenas um nicho. Mesmo no ambiente político e regulatório, o ESG teve seu destaque.


Agora em 2021, esse movimento terá que provar que veio para ficar. A recuperação econômica sustentável, inclusive, passa pela adoção de boas práticas ambientais, sociais e de governança. 


Nesse sentido, algumas tendências iniciadas nos últimos anos devem se intensificar, e outras novidades devem aparecer na agenda ESG para investidores, empresas e reguladores.


A equipe SITAWI identificou então no início de 2021, dez tendências que irão emergir ou se solidificar na agenda ESG.


Nesta publicação, nossa equipe aprofunda cada uma destas tendências, a partir do que observamos no Brasil e no cenário internacional. Os artigos contextualizam cada uma das tendências e trazem os destaques a serem observados nos

próximos meses.


Desejamos a você uma boa leitura e que participe ativamente nesta agenda!



Preencha os seus dados

Você receberá a publicação em seu e-mail

SITAWI Finanças do Bem